ENERGIAS E FLUIDOS




8 - ''...Sendo esses fluidos o veículo do pensamento e podendo este modificar-lhes as propriedades, é evidente que eles devem achar-se impregnados das qualidades boas ou más dos pensamentos...'' Desta forma, podemos concluir que pessoas cujo espírito se encontra numa vibração inferior, vivendo comportamentos impróprios dum homem de bem e atitudes contrárias à Doutrina Espírita, transmitem através do passe, as influências desta sua conduta de vida? Conheço pessoas que se conduzem por estes caminhos e são trabalhadores passistas. Será que no momento do passe, a orientação dos benfeitores prevalece e impede a transfusão de energias deletérias?

Resposta: Há uma reflexão que diz que um vaso contaminado não pode veicular/distribuir líquidos puros. Algo semelhante se dá com os magnetizadores, tanto que os melhores magnetizadores que a história tem oferecido como exemplo eram pessoas de comportamento ético e moral de elevada hierarquia, mesmo quando não vinculados a religiões ou credos. O bom magnetizador deve se esforçar por estar sempre melhor. Contudo, as evidências também apresentam um contraste: existem magnetizadores que não são exemplos morais dos melhores, mas seus resultados são excelentes. O que se poderia pensar é: sendo como são alcançam o que alcançam, imagine o que conseguiriam se fossem bons?!




07- Em dia de Reunião de Cura, ou sempre que aplico um passe, tenho suado muito, chego a pingar depois de certo tempo; a camisa fica molhada, tive que arrumar uma toalhinha. Acho desagradável. Isso passa com o tempo, Jacob?

Resposta: Normalmente, com a prática continuada tende a passar. Este sinal (sudorese), em muitos casos, é apenas uma das formas da usinagem fluídica se pronunciar, mas, de certa forma, se transformará em outras maneiras menos desagradáveis. Eu mesmo fui assim quando, ainda bastante jovem, aplicava magnetismo.




06- Onde tenho trabalhado com passes algumas pessoas me sugam muito e me deixam desgastadas de forma muito pesada. Será que é porque são carentes e tem mediunidade?

Resposta: O fato de alguém ser sugador, carente ou médium ostensivo NÃO PODE SER TOMADO COMO CAUSA de nossa exaustão. Essas pessoas podem até exercer forte componente que nos fragilize, mas se estamos ficando caídos é porque estamos nos descuidando de algum procedimento. Veja se: a) não estás dispersando pouco ou concentrando muito sem intercalar dispersivos; b) se não estás absorvendo demais os campos psíquicos e emocionais das pessoas e, depois, não fazes como se auto dispersar, seja por respiração diafragmática ou por intervalar melhor entre um e outro passe; e c) tens permitido que refluxos do paciente se demorem e se fixem em seus campos, a começar pelas mãos e braços -- o que indicaria a necessidade de mais dispersivos, com mais vigor. Por fim, cuide também da alimentação, respiração, descanso e sono.




06a- Depois desses passes que aplico fico tão descompensada que à noite tenho verdadeiros pesadelos...

Resposta: Sendo o fumo danoso para o organismo em geral, só isso já basta para causar prejuízos, mas, apesar disso, as técnicas de TDM são muito eficientes. Convencer o fumante a largar o vício é uma tarefa que pode e deve ser desenvolvida paralelamente, porem evitando-se condenações, acusações ou mesmo dizendo que isso impede que o grande potencial de ajuda se estabeleça. Nada como bons argumentos para se contribuir na superação de vícios.




57- O passista que também se encontra em tratamento espiritual pode dar passes magnéticos?

Resposta: Se não temos como evitar sonhos devemos nos educar para dormirmos mais tranquilos, evitando agitações pre-sono. Isto inclui certos alimentos e maiores quantidades, bebidas com excesso de excitantes, filmes, livros ou conversas que mexem com o emocional de forma negativa e a ausência do convite bem dirigido ao anjo da guarda para que ele, de fato, nos acompanhe.




56- Pode ser realizado o TDM em assistidos que estão sob tratamento espiritual (por exemplo: P2, CH, P3B)? Os tratamentos podem ser simultaneamente aplicados nos assistidos?

Resposta: Peço desculpas por minha não familiaridade com as técnicas apresentadas (P2, CH, P3B...). Por não saber como se aplicam fico sem ter como me posicionar, mas uma coisa é certa: devem ser evitados todos os tipos de passes concentradores em portadores desses distúrbios, notadamente no nível TDM-1, pois a absorção de fluidos de forma concentrada só complica o quadro geral do paciente. Quando a terapia já se encontra nas fases seguintes (TDM-2 e 3) os concentrados podem ocorrer, ainda assim com o cuidado de intercalá-los com dispersivos.




05- O número mais expressivo é de "médiuns" magnetizadores, ou seja, com capacidade de usinar os próprios fluidos ou de "médiuns" Espirituais onde o fluido predominante é dos Espiritos?

Resposta: Não costumo empregar o termo "medium magnetizador". Para Allan Kardec existiam médiuns curadores e magnetizadores; e eu concordo com ele. Partindo-se do que Kardec definiu, o que mais existe são magnetizadores; médiuns de cura são poucos. O problema é que no meio espírita se criou a figura do médium passista, aí qualquer um, que sinta qualquer arrepio, já é considerado médium passista, o que nos leva a pensar que estes são em maior número. Podemos ainda observar o que se segue: O fluido predominante é o do magnetizador (LM- Cap. XIV – DOS MÉDIUNS – Item 176. 2ª. Entretanto, o médium é um intermediário entre os Espíritos e o homem; ora, o magnetizador, haurindo em si mesmo a força de que se utiliza, não parece que seja intermediário de nenhuma potência estranha. "É um erro; a força magnética reside, sem dúvida, no homem, mas é aumentada pela ação dos Espíritos que ele chama em seu auxilio"…); portanto, a ação primordial dos Espíritos está vinculada àquilo que o magnetizador libera, conforme se depreeende dessas palavras.




05a- E se pelo estudo teórico e consequente estudo de si mesmo, com exercício prático haverá casos em que o individuo transite de uma modalidade para outra?

Resposta: Vou deixar a resposta por conta de Allan Kardec: LM-14; 162. "Os seres invisíveis, que revelam sua presença por efeitos sensíveis, são, em geral, Espíritos de ordem inferior e que podem ser dominados pelo ascendente moral. A aquisição deste ascendente é o que se deve procurar. Para alcançá-lo, preciso é que o indivíduo passe do estado de médium natural ao de médium voluntário. (...) O sonambulismo natural cessa geralmente, quando substituído pelo sonambulismo magnético. Não se suprime a faculdade, que tem a alma, de emancipar-se; dá-se-lhe outra diretriz. O mesmo acontece com a faculdade mediúnica".




05b- Os "passistas" espirituais deverão dispensar todas as tecnicas e apenas valer-se de imposição sobre o coronario já que os fluidos predominantes são do mundo espiritual?

Resposta: Se houver garantia de que o passista é apenas e tão-somente espiritual, ou seja, sem deixar transmitir nenhum fluido magnético, poderá sim ficar apenas na imposição de mãos, mas devemos convir de que estes não são tão comuns como se pensa, daí o cuidado de se fazer ao menos passes dispersivos após imposições.




04- Quando vamos fazer o exercício do treinamento do tato, alguns médiuns sentem muito fluido, isto é normal?

Resposta: Pode ser considerado normal sim, mas uma avaliação mais precisa só pode ser dada com a observação e a análise pontual do magnetizador; como não conheço de quem se trata não tenho como dar opiniões mais precisas.




03- Tenho uma dúvida a respeito dos magnetizadores que usinam através do genésico e do básico; como o passista pode transmutar os fluidoss mais densos desses dois sistemas em sutis para que seja melhor utilizado?

Resposta: Na verdade, AINDA não temos plena consciência de muitas coisas que fazemos, notadamente no campo fluídico. Ainda impera uma espécie de "automatismo inconsciente" em nossas usinagens, onde a "natureza magnética" age e interage de uma forma um tanto quanto autônoma, identificando o tipo de fluido a ser expelido e, com isso, produzindo-o na frequência com que é "solicitado". Nisso parece ficar muito claro que quanto melhor desenvolvermos nossa dupla vista ou o tato-magnético melhor nossas usinas (centros vitais) refinarão os fluidos, já que estará claramente estabelecida a “identidade” do que é necessário. Por outro lado, os fluidos provenientes dos centros de mais baixa frequência (gástrico, esplênico e genésico) tendem a ser mais densos, daí precisarmos ter maior cuidado em suas aplicações, mormente quando dirigidos a centros de alta frequência (como laríngeo, frontal e coronário) e até o mediano (cardíaco).




02- Na reunião de educação mediúnica que participo à noite, fazendo vibração, quando soube que também faço visita fraterna aos lares no mesmo dia na parte da tarde fui orientado para decidir em qual tarefa iria continuar, alegando que eu precisaria de pelo menos 48 horas de intervalo entre uma tarefa e outra, para reposição das energias. Ocorre que não sou médium ostensivo, como também nunca passei mal em decorrência dessas atividades com intervalo de aproximadamente 3 horas; ao contrário, sinto-me bem pela possibilidade do trabalho em favor do semelhante. Gostaria de suas considerações a respeito.

Resposta: Veja bem; conheço pessoas que bebem água de duas em duas horas, ao ponto de em meio ao sono despertarem para beberem mais água; outras só bebem líquidos se for mediante muita insistência de alguém que se interesse em ajudá-la. Há quem afirme, peremptoriamente, que quem bebe menos de “X” litros de água por dia está sujeito a uma infinidade de problemas com a saúde. Apesar disso ser uma informação muito repetida nos dias atuais, nessas pessoas que sempre beberam pouco líquido essa "verdade" nem sempre se confirma uniformemente.

Nas Casas Espíritas costumam surgir normas e regras que parecem ser sensatas, mas que, provavelmente, estarão baseadas em históricos do tipo "ouvi dizer" ou em palavras de "pessoas acima de quaisquer suspeitas". Entretanto, quando se analisa esses procedimentos com mais cuidado é comum chegarmos à conclusão de que ou há uma preocupação em não deixar que o trabalhador se extenue, ou que ele não tenha como observar os próprios limites, ou ainda, com medo de perdê-lo, seja de um setor para outro, seja de uma Casa para outra. Isto significa que estamos encobrindo um fato com um interesse e não com dados que expliquem suficientemente bem o que de fato ocorre. O Magnetismo nos oferece melhores exemplos a respeito -- pois como este surgiu ao mundo como ciência e quem o tratou lhe deu esse encaminhamento científico -- do que o mediunismo, já que este, via de regra, não tem apresentado, nos dias atuais, métodos de pesquisas e estatísticas confiáveis.

O Magnetismo demonstra, na prática, que a perda excessiva de fluidos pode acarretar fadigas fluídicas, daí ser importantíssimo que cada magnetizador se conheça e se reconheça, sabendo seus próprios limites de captação e doação fluídicas. Observemos que há variações quase infinitas entre um e outro magnetizador. Um pode aplicar 20 longos passes magnéticos num dia e no dia seguinte estar totalmente refeito para fazer tudo de novo, com igual qualidade; outros não excedem a 10 e nem sempre se recuperam num único dia. O que fazer então: estabelecer uma regra fixa para todos? Se assim for, qual o número ideal: 10, 20, 15... Qual? Bem se percebe que quando se começa a se estabelecer números ou condições rígidas estamos minimizando ou não-significando o problema, ainda que isso gere prejuízos. Qual seria a resposta ideal, portanto? Veja que resposta chata a que tenho: cada caso é um caso! Por que esta resposta é chata? Porque ela pede que se observe, individualmente, os seres e dê-se ou solicite-se a formação ideal para cada um.

Se, no início de um novo trabalho ou no ingresso de uma pessoa inexperiente a este, querendo evitar possíveis erros ou quedas tomarmos um número mínimo ou uma condição mais rígida, de forma provisória, como solução ou indicação, isso é perfeitamente compreensível e aceitável; o erro está em se deixar isso como regra, entronizando-se coisas e práticas desprovidas do bom senso que Kardec tanto nos ensinou. Voltando à observação inicial, quanto de água devo consumir por dia? Em certos casos, por incrível que pareça, até mesmo um médico pode precisar ser ouvido para dar essa resposta, mas antes de tudo, que cada um procure se conhecer melhor. E não pensemos que isso seja fácil, pois Sócrates, um dos maiores filósofos da humanidade, tinha este como um de seus maiores questionamentos: quem sou!

Tenhamos cuidado sempre, mas não nos imobilizemos, pois será sempre pior opção.




01- As energias do Reiki, do Xamã e do passe são as mesmas?

Resposta: Em princípio sim, mas há diferenças que precisam ser consideradas. As do Reiki são "externas"; as do Xamã são dos ambientes e seres circundantes; as do passe magnético são dos magnetizadores; as do passe chamado espiritual são dos Espíritos, além de ainda haver o passe misto, em que os fluidos são humanos e espirituais.




01.a- O Sr. Acha que eu posso utilizar esta energia para ajudar as pessoas?

Resposta: Pode sim, mas melhor ajuda quem está em boa condição. Uma pessoa em depressão teoricamente não está em condições de transmitir energias para vários casos; ademais, quem está abatido precisa primeiro se refazer para depois, em bom condicionamento, poder ajudar ao outro.